Carnaval

Carnaval Salvador-Recife Rio de Janeiro Samba Turismo

     

Carnaval é a maior festa popular do Brasil, compreendida entre o Dia de Reis e a Quaresma (durante os quatro dias que precedem a quarta-feira de cinzas). O Carnaval prepara o início da Quaresma, isto é, seu último dia (terça-feira) acontece quarenta dias antes da sexta-feira santa.

História e etimologia
O carnaval tem raízes históricas que remontam às bacanais e a festejos similares em Roma; alguns historiadores mais ousados chegam mesmo a relacionar o carnaval a celebrações em homenagem à deusa Ísis ou ao deus Osíris, no Egipto antigo.

Em Roma havia uma festa, a Saturnália, em que um carro no formato de navio abria caminho em meio à multidão, que usava máscaras e promovia as mais diversas brincadeiras. Essa festa foi incorporada pela Igreja Católica, e segundo alguns a origem da palavra carnaval é carrum navalis (carro naval). Essa etmologia, entretanto, já foi contestada. Atualmente a mais aceita é a que liga a palavra "carnaval" a carne vale, ou seja, adeus à carne, uma espécie de último momento de alegria e festejos profanos antes do período triste da quaresma.

Em 1091 a data da Quaresma foi definitivamente estabelecida pela Igreja Católica; como consequência indireta disso, o período de Carnaval se estabeleceu na sociedade ocidental, sofrendo, entretanto, certa a oposição da Igreja, na Europa. Embora alguns papas tenham permitido o festejo, outros o combateram vivamente, como Inocêncio II.

À seqüência do Renascimento o Carnaval adotou o baile de máscaras, e também as fantasias e carros alegóricos. Ao caráter de festa popular e desorganizada juntaram-se outros tipos de comemoração e progressivamente a festa foi tomando o formato atual, que se preserva especialmente em regiões da França (ver Mardi Gras), Itália e Espanha.

No Brasil
Antes da festa carnavalesca brasileira tomar sua forma moderna o que havia era o entrudo. Em finais do século XVIII, o entrudo era praticado nas principais cidades do país consistindo, principalmente, em uma batalha de água, tintas, frutos, papel e o que mais estivesse a mão. A brincadeira acontecia dentro das casas - sob a forma do "Entrudo Familiar" ou nas ruas - sob a forma do "Entrudo Popular". Este muito mais violento e grosseiro, envolvendo a população mais carente e os escravos. As primeiras tentativas de civilizar a festa carnavalesca brasileira - através da importação dos bailes e dos passeios mascarados parisienses - vão colocar o Entrudo Popular sob forte controle policial. A partir dos anos 1830, uma série de proibições vai se suceder na tentativa, sempre infrutífera, de acabar com a festa grosseira. A brincadeira do entrudo prosseguirá, a despeito de todas as proibições, até as primeiras décadas do século XX. Até hoje, ecos dessa diversão carnavalesca podem ser vistos no carnaval das ruas de Olinda, na pipoca do carnaval baiano e nos blocos de rua cariocas.

Em finais do século XIX, toda uma série e grupos carnavalescos ocupam as ruas do Rio de Janeiro, servindo de modelo para as diferentes folias. Entre esses grupos destavam-se os cordões, os ranchos e os blocos. Em 1899 Chiquinha Gonzaga compôs a primeira música especificamente para o Carnaval, "Ô Abre Alas!". A música havia sido composta para o cordão Rosas de Ouro. Os foliões costumavam ir para as ruas fantasiados, usavam máscaras inspiradas no famoso "Ball Masqué" de Veneza, mas as fantasias mais tradicionais e usadas até hoje são as de Pierrot, Arlequim e Colombina, originárias da Comédia Dell’arte italiana. Em 1890, e por algumas vezes antes, foi tentado uma modificação na data do Carnaval, deslocando-o para os meses do inverno, "para evitar os malefícios do verão escaldante". Contudo, nenhuma tentativa de mudar a data do Carnaval teve sucesso no Brasil.

Nas décadas de 1920 e 1930, na Avenida Paulista em São Paulo e avenida Central no Rio de Janeiro desfilava o corso carnavalesco.

Em várias grandes e pequenas cidades, as Escolas de Samba fazem desfiles organizados que são, na verdade, um concurso para a eleição da melhor escola do ano segundo quesitos técnicos e estéticos. Surgiu daí a indústria do carnaval gerando muitos empregos nos barracões das escolas de samba na confecção dos carros alegóricos e fora com a confecção das fantasias e adereços.

Os desfiles mais tradicionais acontecem no Rio de Janeiro na Passarela do Samba como é chamado o primeiro Sambódromo construído no Brasil e em São Paulo no Sambódromo do Anhembi.

Além dos desfiles das escolas de samba acontecem também os desfiles de blocos, organizados em uma avenida, numa versão menor do desfile das escolas de samba e os blocos de empolgação, que são simplesmente grupo de pessoas que saem desfilando pelas ruas das cidades para se divertir, sem competição. Também há os desfiles das bandas, que reúnem muitos carnavalescos acompanhando, e os bailes de carnaval, bailes realizados em clubes, ou em áreas públicas abertas, com execução de músicas carnavalescas.

Fonte Wikipedia

Faça uma viagem de turismo no próximo carnaval!

Passagens Aereas

Passagens Aéreas

Pacotes Turísticos

Cruzeiros Marítimos

Cruzeiros

   

Seguro

Viagem

   

Seguro Viagem

Viagens e Turismo

   

.:: Viagens ::.

.:: Turismo ::.